sexta-feira, 29 de março de 2013

A Páscoa de Cristo.



A arca do concerto,
Pão asno e ervas amargas,
 “Afaste de mim este cálice!”
Alguém entre vós, me trairá...
  
Mas minha mensagem é de amor
Que amem uns aos outros,
Que perdoe os vossos pecados,
Que levem a boa nova aos confins da Terra.
 
Não sou um Deus vingativo,
Como queria meu povo Israel,
Sou o novo nascimento,
Assim na terra como nos céus.
 
Ressurreição, esta é a palavra chave,
Que tive de anunciar,
Mesmo que estejas morto.
Certamente viverás.
 
Novos céus e nova Terra,
Novas moradas, vou lhes preparar,
Pois o meu reino não é deste mundo,
É eterno e jamais passará.
 
Ainda que a língua dos anjos, um dia possa acabar,
Deixo com vocês o amor, que do espelho se livrará.
Frente a frente no meu reino
Com vocês quero reinar...
 
“Uma Feliz páscoa, para os homens de boa vontade”

Autor: Gilberto Fernandes Teixiera

domingo, 24 de março de 2013

Raízes

Estou fixando raízes
Quero um solo forte
Um coração que germine
Um sonho que fecunde.
 
Quero folhas verdes
Uma planta mimosa
Subindo pela parede
Quero lançar galhos.
 
Quero ultrapassar os muros
Levar a esperança
Quero produzir frutos
E provar a importância das flores.
 
Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

sexta-feira, 22 de março de 2013

Dia da água.

Eu quero água para beber
Eu quero água para banhar
Eu quero água no meu suco
Só quero me refrescar.
Gotas de água na chuva
Nos olhos e no coração
Eu quero cantar molhado
Uma suave canção.
Água que desce da serra
Para o rio e para o mar
Desce na cascata cantando
Para minha alma lavar.
Leve feito as nuvens
No ciclo da vida serei
Peixe, baleia ou homem
Suas sedes saciarei.
Autor; Gilberto Fernandes Teixeira

quinta-feira, 21 de março de 2013

Eu caçador de mim.

Tão longe
De mim distante
Viajam meus pensamentos
Sou nuvem passageira
Fogo que arde
 Lenha que queima.
 
Tão longe
De mim distante
Viajam meus pensamentos
Na busca que nunca finda
Nas indagações que não se calam
Nas horas que sempre passam.
 
Tão longe
De mim distante
Viajam meus pensamentos
“Sou caçador de mim”
Metade partindo
Metade ficando.

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

segunda-feira, 18 de março de 2013

Ao blog "fiapos de sonhos

 
 
 
Este emaranhado de sonhos
Tacho de algodão doce
Soltando plumas pelo ar
Poesias em forma de penas.
 
Um blog assim tão delicado
“Onde o ʍѳ√iʍƬѳ do lugar infinito sabe de si”
Que nos deixa apaixonados
Vale sempre "a pena" passear por ai.
 
 
Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

domingo, 17 de março de 2013

O quadro

Eu pinto um quadro sem tela
Com quatro retas amarelas
Sumindo no espaço azul.
Eu pinto um espelho com imagem
Desaparecendo na paisagem
Com seu reflexo incolor.
Eu pinto uma margarida florida
Sugindo na atmosfera da vida
Com seu olhar de primavera.
Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

quinta-feira, 14 de março de 2013

Ser poeta.

 
 
Ser poeta
É ser sonhador
É ser adulto com alma de criança
É sempre ter esperanças
É andar de bicicleta possuindo uma ferrari.
  
Ser poeta
É viver e saber deixar os outros viverem
É colocar-se no lugar do próximo
É fingir e ao mesmo tempo sentir a dor
É ser mais do que um simples fingidor.
 
Ser poeta
É ser livre
É tentar respirar a felicidade
É viver nas asas da liberdade
É redescobrir e colorir o mundo
É ser raso e ser profundo.
 
Ser poeta
Não tem uma explicação lógica
Por que existem o amor e a lágrima
Que podem sair de qualquer pessoa
Mas uma verdadeira poesia
emerge dos corações apaixonados.
  
Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

quarta-feira, 13 de março de 2013

Mãe natureza.

  
Eu me lanço no ar
Feito cascata
Sou livre
Sou água.
 
Minha imaginação
E os meus sonhos
São orvalhos
No amanhã.
 
Eu me refresco
Na brisa
No verde
E faço meus próprios horizontes.
 
Eu me lanço no ar
Sou véu
Sou céu
Sou mãe natureza.
 
Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

segunda-feira, 11 de março de 2013

Beneficiamento.

Este mexido de idéias
Separando coisas
O metal de suas gangas
O minério do mineral
 
Sacudindo,
Peneirando,
Lavando,
Beneficiando.
 
Assim seque o processo
Dando valor a vida
Selecionando o bem do mal
Por fendas pré-estabelcidas.
 
Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

domingo, 10 de março de 2013

Meu canto

Eu canto
Um novo canto
E ele ecoa pelo ar...
 
Eu canto o amor
Que acaba de chegar.
 
Eu canto
O encontro
O encanto.
 
Eu canto
Os sonhos
Eu canto a vida.
 
Eu canto
Com minh´alma ritimada
e mais nada...
 
Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

quinta-feira, 7 de março de 2013

Anoitecer.


Anoitece...
Brilha uma estrela
Brilha outra estrela
Surge a lua.

Sombras saem
O medo renasce
A saudade impera
A rua fica vazia.

Alta noite
Os cachorros silenciam
Os galos cantam
Os gatos namoram.

E o boêmio sente sono.

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

terça-feira, 5 de março de 2013

Ao corpo.

A este invólucro comprimido
que me contém por inteiro.
Que um dia se perderá no caminho
Por ser um pó verdadeiro.
 
Amo-te,
acaricio-te,
observo-te,
e quero te deixar descendentes.
 
E por fim uma cruz benevolente
onde se lê apenas:
“quis ser poeta
e tentou amar na vida”!
 
Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

segunda-feira, 4 de março de 2013

Metades.

Se metade de mim é ela
e a metade dela sou eu.
Então, só nos sentimos inteiros
quando juntamos nossas metades.
 
Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

 
 

domingo, 3 de março de 2013

Borocochô,

foto by food art
Uma lágrima cai,
um espelho se quebra.
Ouço sons de solidão.
Meu coração ficando assim...
meio que borocochô,
jogado para as traças
e passando mal pra chuchu.
Autor: Gilberto Fernandes Teixeira