quarta-feira, 29 de maio de 2013

Reflexo.


A prata no vidro...
Meu espelho quebrado
Reflexos na noite
Um homem apaixonado

Estou assim...
Meia lua inteira
Sorrindo para o nada
Na madrugada derradeira.


Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

domingo, 26 de maio de 2013

Pé de vento.


A muito que tento imitar o ar
Deixo sempre passar as brisas
Subo com as térmicas
E assopro aonde quero

Não tenho raízes
Não carrego lembranças
Não trago mágoas
Mas levo ares de chuvas

O meu sopro é leve e breve
Meu espírito aventureiro
Meu destino é sempre incerto
Afinal a  minha vida é um pé de vento.


Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

sexta-feira, 24 de maio de 2013

Luz negra.


Fecho a porta!
Sombras entram em meu quarto
Fecho meus olhos!
Sombras entram em meu corpo

Nesta noite fria de sono
Procuro uma luz negra
Para aceder minha consciência
E dormir brilhando no escuro.

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira


quarta-feira, 15 de maio de 2013

Dentro de mim!


Ouço o rufar de muitas asas
Num entardecer distante
São as andorinhas viajantes
Em busca de um ninho aconchegante

Minha alma também quer pousar
Neste mar de descanso sem fim
Pois venho de muito longe
Trazendo você dentro de mim.

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

sábado, 11 de maio de 2013

Ser mãe!



Ser mãe!
É o maior dos privilégios
É mais do que ser mulher
É mais do que ser flor
É ser fonte de vida
É ser fonte de amor
Ser mãe!
Deve ser maravilhoso
É ter o universo dentro de si
É poder gerar estrelas
É padecer no paraíso
Ser mãe!
É ter mágica para fazer
E assim a vida nos trazer.

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

quinta-feira, 9 de maio de 2013

Revelação.


Existe um rosto de lua
A observar os meus passos
Ela se esconde nas sombras
Dos seus negros cabelos.

Existe uma mulher guerreira
Com seus lábios de sangue
Ela se mimetiza na poesia
E os seus olhos me chamam

Existe uma face que arde
Um desejo que atrai
Um vermelho que ama
E um mistério por revelar-se.

Autor:  Gilberto Fernandes Teixeira

domingo, 5 de maio de 2013

Holograma



Eu a vi completamente
Em 3D brilhante
Aparecendo do nada
Num espaço virtual
Cheio de luzes e cores
Assim...
Como em um holograma
Ela me beijou
Mormurou um adeus
E sumiu para sempre.

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira