quinta-feira, 5 de dezembro de 2019

Cotidiano.



Olho o sol se pondo
O meu dia está quase vencido
Percebo um quadro sendo pintado
No horizonte da tarde

Meu suor está ficando frio
Meu corpo está ficando cansado
Minhas mãos deslizam no vento
Sinto aquela vontade de ir me deitar

Hoje, foi brabo!
Venci as horas insanas
Venci os momentos de tédio
Venci a sua falta

Olho o sol se pondo
Meu relógio marca 19:00h
O quadro ficou pronto
A esperança promete um novo amanhã

O cérebro matuta calado
Acelero a moto na reta da rua
Um sorriso me salta do rosto
Faço da vida minha poesia.

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

terça-feira, 3 de setembro de 2019

Exodus



Meu pensamento químico acelerado,
Minha serotonina danificada,
Minha Quet XR tomada na boca da noite,
Meu tarja preta fechando o dia.

O que seria a ansiedade?
Um desequilíbrio da consciência,
Um cérebro esperando a própria falência,
Ou uma viagem para o fim sendo marcada.

Leio as bulas e seus efeitos colaterais,
Tenho uma síndrome de pânico com sorrisos,
Tomo um escitalopram pela manhã,
E vou trabalhar como se eu fosse um plástico.

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

domingo, 23 de dezembro de 2018

115.000 ACESSOS!


O Blog "Metalurgia das Letras" agradece a todos 
seus amigos pelo número considerável de acessos!

sábado, 17 de novembro de 2018

Amor platônico.



Eu te amei sem mesmo lhe conhecer
Te amei em sonhos e revistas
Te amei em músicas e louvores
Te amei em palavras presas em cadernos

Meu amor é assim...
Não precisa ser correspondido
É amor para  grandes distâncias
É amor sem paixão

Não me toques
Não me beijes
Não me fales qualquer palavra
Por favor, me ame em silêncio

Eu te amei desde o primeiro instante
Instante em pensei
Pensei que fosse minha
Minha consciência.

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

sábado, 3 de novembro de 2018

Lágrimas de flores,


Lágrimas de flores,
Foi o que chorei por você.
Estava só,
Plantado a beira do rio.

Uma ponte cruzava sobre mim
Águas turvas me inundavam o coração
Pensei em desistir,
Pensei em mergulhar.

Te procurei entre os espinhos,
Te procurei nos mesmos lugares,
Te procurei nas ruas,
Te procurei entre as pessoas.

Lágrimas de flores
Foi o que chorei por você
Mais já não estava só
Você havia me encontrado.

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira


domingo, 25 de fevereiro de 2018

Entre nuvens.

Me deito em uma rede macia
e fito o céu azul deste belo dia
Nuvens casam e se divorciam
Enquanto urubus sobrevoam a minha mente
Meus pensamentos porém estão contentes
A tristeza em fim foi-se embora
Há sol sobre a terra e sobre os homens
As palavras parecem fazerem sentidos
A rua descansa sobre as sombras das árvores
O vento insiste em soprar uma brisa
Uma lagarta acaba de enrolar seu casulo
Meu corpo balança como um pêndulo solto
Minha cabeça gira feito um girassol
Longe e perto se misturam
Entre nuvens sou quase um anjo
O tédio acena de longe com um lenço branco
Penso em fechar os olhos e dormir
Mais acho que já estou sonhando...

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

sábado, 10 de fevereiro de 2018

Pedras.


Juntei pedras coloridas
e imaginei conter o caos das horas insanas
Muita areia entrou com o vento,
nada sem muito sangue pensa direito.
Minha cabeça tem vagas,
nelas estacionei um poema de ré.
Tirei suas  rimas e as suas estrofes,
queria apenas bagunçar o coreto.
Atirei as pedras sobre a terra,
fiz um muro separando as ideias
De um lado ficavam os sentidos
e do outro amarrei a loucura.
Nada dura para sempre,
nem o sempre foi sempre de pedras.
Agora que não existem razões
"Pedras que rolam  não criam limo"
Atirarei!!!


Autor:  Gilberto Fernandes Teixeira

sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

Planta plantada.


Lanço minhas raízes sobre o vento
Tudo está passando....
Sinto o frio e o calor dos dias
Nada além de sonhos e duras realidades

É preciso atingir o solo,
É preciso buscar a seiva,
É preciso enfrentar o tempo,
É preciso resistir ao sol

Lanço minhas raízes sobre as águas
Tudo está se consumando...
Sinto  a chuva e os raios
Nada além da sobrevivência

É preciso ser forte,
É preciso florescer,
É preciso dar frutos,
É preciso multiplicar a vida

Lanço minhas raízes sobre  a terra
Tudo parece está seguro
Sinto a rigidez dos troncos
Nada além de uma planta plantada.


Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

110.000 Acessos!


    O Blog Metalurgia das Letras agradece aos amigos 
pelo número considerável de acessos.

domingo, 5 de novembro de 2017

"Voo de coração meu amor"


"Longe é um lugar que não existe"
portanto voa a minha alma
Sobre um oceano revolto
"Voo de coração meu amor"

A saudade é um motor pulsante
Que me faz ataverssar  os ventos
Sou um planador sobre o tempo
Focado apenas no nosso reencontro

Não deixo rastros no céu
Não me arrisco a olhar para trás
Minha bússola é a minha segurança
Mais meu norte é sempre você.

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira.