domingo, 27 de dezembro de 2015

Inspiração.


Venho como a sombra
Com apenas um olhar escuro
Busco pelos homens sonhadores
Aqueles que se inspiram no vento

Passo despercebida pelas portas
Sou apenas um vulto na janela
Desejo lhe possuir lábios
Morder vorazmente sua língua

Não, não se deixe enganar pelas formas
Nem tudo em mim é preto e branco
Possuo uma alma colorida
E só perturbo a quem gosto.


Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

sábado, 22 de agosto de 2015

Doente.


Eu estive doente
Em um lugar sem poesias
Em um hospital sem médicos
Procurando uma cura sem remédios

Meu semblante caiu sobre meus olhos
Minha face ficou pálida como a bruma
Minha insônia não dormia de medo
Meus pensamentos fizeram um pacto com a morte

Eu estive doente
E não existam horizontes por trás das colinas
Eu estive doente
E me lancei no abismo

Eu morri pela primeira vez
Mas renasci quando ajuntaram as minhas cinzas.


Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

terça-feira, 12 de maio de 2015

Dentro de mim.


Olhe para os meus olhos
Quero ver a tua alma
Quero ver o teu fantasma
Quero enxergar o teu espírito

Olhe nos meus olhos
Não pisque
Não chore
Não abaixe a cabeça

Olhe dentro dos meus olhos
Fixamente
Profundamente
E diga se te vê dentro de mim.


Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

segunda-feira, 11 de maio de 2015

Essencial


É necessário pulsar
Deixar fluir a vida
Balançar o pêndulo das horas
Assusta-se com os instantes

É preciso correr entre os canteiros,
Cantar, pular e quebrar o silêncio.
É imprescindível sonhar com a paz
Realizar o que foi imaginado.

É urgente buscar o conhecimento
“Repartir o trigo se fartar de pão”
É sine qua non praticar o amor,
Ter fé no amanhã.

É primordial tentar ser feliz,
Escreve um poema e sonhar.


Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

segunda-feira, 27 de abril de 2015

Rainha das cores.


Foi assim...
Que ela veio
Como uma deusa encantada
Uma tela viva

Fantasiada de pássaro
Pavão misterioso
Sedutora e fatal
Rainha das cores

Veio respirando o silêncio
Meditando sobre os homens
Quase pálida como a morte
Veio rápida como um raio

Foi assim...
Que ela se foi
Deixando apenas lembranças
E borboletas enclausuradas.


Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

terça-feira, 17 de março de 2015

Dama de vermelho.


A poesia é uma dama de vermelho
Uma deusa
Uma ninfa
Mais ela possui motivos secretos

Só ela sabe enfeitiçar as almas
Só ela sabe aproximar os corpos
Só ela sabe retirar os sussurros
Só ela sabe ouvir os murmúrios

A poesia é uma dama
Que muitas vezes se lança ao mar
Que gosta de morar em torres
Que as vezes é louca e desvairada

A poesia é uma dama
Que sabe escolhe os corações
Que não gosta de perder os instantes
Que adora rimas e versos

A poesia é uma dama
Que possui vários amantes
Que chega trazendo flores
Mais deixa os poetas solitários.

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira


domingo, 8 de março de 2015

Mastigando flores


Mais uma vez estou aqui
Falando as paredes
Escutando as minhas sombras
Meditando sobre o amor

Sentindo um vazio
Sentindo uma dor
Sentindo a tua falta
Sentindo o tempo passar

Mais uma vez estou aqui
Mastigando flores
Sonhando com a poesia
Tentando construir um castelo

Já não sei se serás o meu príncipe
Se o meu coração é só teu
Se as minhas lágrimas te pertencem
Já não sei nem porque choro

Mais uma vez estou aqui
Tentando abrir as janelas
Libertando minha alma
Deste corpo de mulher.

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira


quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Samurai do amor


Ela lutou com todas as suas forças
Com toda a sua garra
Com todas as suas armas
Pelo nosso amor

Ela tornou-se um samurai
Com sua espada certeira
Com o seu charme mortal
Com seu olhar fatal

Escolheu-me para seu jovem guerreiro
Dedicou-me seu corpo inteiro
Preparou-se para a guerra
Mas fez apenas amor.


Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Revelação


Ela se revelou
Tirou o véu
Abriu o zíper
Mostrou o rosto

Saiu do casulo
Veio como borboleta
Veio como feiticeira
Veio como ninfa

Ela se revelou
Veio como dama
Veio como deusa
E perdoou todos os meus pecados carnais.

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Mimo do Blog Sonhos e Poesia.


Mais uma vez a amiga  GRACITA nos honra com um de seus mimos 
do seu novo Blog "Sonhos e Poesia"

90.000 Acessos!


O Blog "Metalurgia Das Letras" agradece à todos seus leitores e amigos
pelo número considerável de acessos!

Almas gêmeas.


Ela me esperou por uma eternidade
Por quantas vezes nasci e morri não me lembro
Por quantas vezes deixei de amar também

Mas enfim se fez o encontro
Um sonho realizado
Havia mistério e sedução pelo ar
Um desejo além do tempo

Ouro incrustado,
Almas gêmeas
Daquelas que quando se encontram...
È amor para sempre.


Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

domingo, 11 de janeiro de 2015

Mulher de areia


Sei que esculpi o teu corpo
Nas brancas areias do mar
Mas com a lama negra dos mangues
Quis os seus dotes mostrar

Mulher de areia
Pura ilusão
Linhas que se perdem
Nas siluetas da paixão

Traços e sombras
Percorrem o seu quadril
Por onde navegam meus olhos
Com doce amor varonil.


Autor: Gilberto Fernandes Teixeira