terça-feira, 29 de maio de 2012

No balanço da rede.



Eu me balanço
Neste momento
No vento
Dos meus pensamentos.

Meus pés não tocam no chão
Meu coração quer descanso
Minha visão pede calma
Minha rede é meu único carinho.

Não fumo,
Não bebo,
Não trago ilusões
Meu dia foi pesado.

Eu me balanço
Na penumbra da noite
Ao som dos acoites
Das ondas do mar...

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

8 comentários:

  1. Oi amigo.
    Você poetiza com a alma! Parabéns! Boa quarta feira. Beijinhos de luz!
    Gracita

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só o seu comentário para me tirar desta rede amiga...

      Excluir
  2. Me sinto em uma rede, balançando inconsequentemente, sem medo de cair. Parabéns, poeta!

    Te desejo uma ótima tarde de quarta-feira.
    Um grande abraço.
    Tati.

    http://tatian-esalles.blogspot.com.br/

    Att.

    ResponderExcluir
  3. Tati, muito obrigado pela sua passagem aqui de frente a praia, com sua adorável poesia...

    ResponderExcluir
  4. Uma boa forma de relaxar e de tentar encontrar a paz e o descanso que o corpo e alma necessitam.
    Cumps

    ResponderExcluir
  5. Obrigado Cumps! Muitas vezes o descanso se faz necessário...

    ResponderExcluir
  6. Bom dia Gilberto!
    Gostaria de lhe dar os parabéns pela poesia "No Balanço da Rede", pois é o mesmo sentimento que tenho quando olhei para essa tela CUBISTA de Kátia Almeida.
    Um Forte Abraço, Ana Castro!

    ResponderExcluir
  7. Fico muito contente amiga Ana Castro por compartilhamos os mesmos pensamentos...

    ResponderExcluir